13.02.18
Tradução: Saiba tudo sobre as músicas do Aurora, novo álbum da Bea Miller

Há ano atrás, Bea Miller embarcou na sua jornada mais ambiciosa e pessoal, e convidou os fãs a acompanhá-la a cada passo. Com o lançamento do chapter one: blue (tristeza), a jovem cantora/compositora lançou uma série de novas gravações que rastreiam seu progresso criativo e emocional em cores vivas, literal e figurativamente.

Em seguida, chapter two: red (redenção) e chapter three: yellow (autodescoberta). Miller se esforçou para “estar constantemente em comunicação com as pessoas que ouvem minha música”, como explicou desde o início. Essa busca agora fechou um ciclo com seu segundo álbum, Aurora. A extraordinária evolução de Miller de uma adolescente talentosa para uma artista e mulher madura e confiante.

O título do álbum refere-se à deusa do amanhecer, que se renova todas as manhãs, espalhando flores (uma imagem proeminente na arte do álbum). Para Miller, a figura de Aurora significa o empoderamento das mulheres – um tópico oportuno que tem ressonância especial para Miller no momento – e o álbum representa o novo começo que seu processo permitiu. (A palavra aurora também se refere às luzes do sul e suas ótimas exibições de cores deslocadas, ligando a codificação dos capítulos de Miller).

“Eu passei por mudanças significativas”, diz Miller. “Muito disso tem a ver com a minha idade, mas também tem sido uma questão de escrever e expressar tanto, e poder compartilhar isso com outras pessoas. Liberando essas músicas da maneira que eu fiz, eu realmente pude ver meu próprio crescimento. Eu tenho uma cápsula do tempo agora, do que estava acontecendo na minha vida e na minha cabeça”.

O primeiro single do Aurora, o desafiador “motherLove”, foi elaborado com uns dos “produtores favoritos de todos os tempos” de Miller, Warren “Oak” Felder e Sizzy Rocket. “Oak e eu trabalhamos juntos quando estávamos fazendo o chapter one e no inicio do chapter two, e as últimas músicas que havíamos escrito eram muito negativas. Dessa vez, estava me sentindo mais confiante.”

Esse novo senso de autoconfiança e abertura levou a uma franca conversa com Sizzy Rocket, “sobre caras em nosso passado e o que exatamente os fizeram fazer com que nos sentíssemos tão miseráveis. Uma das coisas de que falamos – isso pode parecer ruim, mas tenho certeza de que muitas mulheres podem se relacionar: quando um cara vai dizer: ‘Oh, eu vou fazer muitas coisas excelentes para você esta noite; eu vou balançar o seu mundo.’ E então eles são como,’Foi ótimo para você?’ E você se sente tipo, ‘Não, eu prefiro estar sozinha.’ Isso vem de uma posição impotente, mas assumindo o controle e revirando seus olhos para ele.”

Essa descrição claramente não se aplica a sentimental “crash & burn”, escrita para o namorado atual de Miller, que antes inspirou “Warmer”, uma música do chapter two. Naquela época, os dois eram apenas amigos, mas começaram a notar um ao outro.

“Por muito tempo, você pode colocar em sua cabeça que você não recebeu o amor e a consideração que deseja, porque você simplesmente não merece”, observa Miller. “Mas agora estou tendo essa experiência incrível. Todos os dias eu acordo com choque que alguém que realmente se preocupa comigo está mostrando isso de forma positiva”.

Alcançar esse “destino”, como Miller diz, não foi sem desafios – o que ela aborda com uma franqueza típica em uma melodia nova chamada “bored”. “Antes que esse cara fosse meu namorado, houve um período em que nenhum de nós queria dar o próximo passo”, explica Miller. “Nós dois temíamos que não retribuíssemos os sentimentos uns do outro”. Ela cutucou sua amiga íntima e frequente colaboradora de escrita, Steph Jones e Mike Sabath, “um produtor de 19 anos que será muito grande, e ele é a pessoa mais legal. Nós estávamos nos divertindo muito juntos, mas na música eu estou reclamando como eu estava entediada com essa situação na minha vida que foi boa, mas repetitiva”.

Miller credita a música pela ajuda com o romance. “Às vezes alguém precisa te empurrar para o futuro”, ela diz. “Eu podia ouvir a voz de Steph na minha cabeça dizendo: ‘Vá’. Você percebe que as músicas podem inspirar sua vida tanto quanto a vida inspira suas músicas”.

A contradição também deu resultado a “outside”, escrita com o artista emergente Lostboycrow e seu produtor de longa data, Dylan Bauld. “Eu me sentia desmotivada no meu trabalho e vida”, diz Miller ao descrever a música, que segue de versos sinuosos e frágeis para um refrão apaixonado. “Pela primeira vez na minha vida, ir ao estúdio começou a parecer como uma tarefa difícil. Eu acho que todos nós podemos cair nisso, então eu comecei a chegar em outros artistas, perguntando, como eu me re-inspiraria? Um deles era esse cara incrivelmente talentoso e incrível, Lostboycrow, e Dylan, que também é incrível. Eu disse a eles como eu senti e eles eram como ‘Sim, podemos nos relacionar com isso’. E nós nos divertimos tanto escrevendo sobre coisas que pareciam tão medíocres, e isso nos levou a escrever o que acabou sendo uma das minhas músicas favoritas.”

Aurora também inclui uma música contribuída por escritores externos, a provocadora e lânguida “girlfriend” que “parece algo que eu poderia ter escrito, mas alguém melhorou”, ironiza Miller. “A melodia é muito legal, mas também adoro que a letra muda os papéis tradicionais. Normalmente, você ouve os homens dizendo: ‘Estou apenas por diversão’, mas neste caso, essa é a perspectiva feminina. Houve um tempo, recentemente, onde eu senti assim”.

Para Miller, documentar essas mudanças e traçar os altos e baixos da vida provou ser empolgante e pungente. “Eu recebi o mix para ‘motherLove’ de volta uma semana depois de termos escrito, e eu sentei no carro com meu namorado e comecei a chorar”, lembra. “Isso só aconteceu comigo uma vez antes. Eu poderia ouvir músicas como essa e ‘bater e queimar’ (crash and burn), e me sinto tão bem, porque eu vi o crescimento não só na minha música, mas em mim, como pessoa. E isso tem sido incrivelmente inspirador.”

Fonte: Hollywood Records
Tradução e Adaptação: BMBR

13.02.18
TRL (COM LEGENDA): Bea Miller canta S.L.U.T. e fala sobre Demi Lovato e Shay Mitchell

Ontem, 12/02, Bea participou do programa TRL da MTV. Durante a entrevista, Bea comentou sobre seu aniversário, que foi dia 7, sobre a amizade com Demi Lovato, sobre o vídeo de Shay Mitchell correndo semi-nua pelas ruas de Los Angeles, entre outros assuntos. Confira o set completo e legendado abaixo:

Além da entrevista, Bea aproveitou a oportunidade para divulgar e cantar seu novo single, S.L.U.T.! A apresentação foi super divertida, com efeitos de luz e cortes. Além disso, percebemos que uma nova era começou, pois Bea, que normalmente se apresenta com uma banda, entrou sozinha no palco. Confiram abaixo o resultado:

Confira também as fotos do programa e dos bastidores na nossa galeria:

Fotos

11.02.18
GALERIA: Atualização Semanal: Confira as fotos dos eventos e redes sociais

Começamos hoje um post que ocorrerá periódicamente aqui no Bea Miller Brasil: a atualização semanal da galeria! Assim, vocês terão disponível em um só lugar todas as novas fotos e não perderão nada.

Essa atualização é referente ao início do mês de fevereiro até o momento. Nesse período tivemos a divulgação do Aurora, com capa, photshoot e evento de divulgação. No dia 07/02 foi o aniversário da Bea e vários amigos postaram fotos nas redes sociais para comemorar a data. Além disso, Bea esteve presente na New York Fashion Week. Confira tudo abaixo e diretamente na nossa galeria:

Divulgação do Aurora
Photoshoot para o Aurora


Capa do Aurora


Fotos com Fãs

Redes Sociais
Twitter


Instagram

Instagram de Outros

Twitter da Kim

New York Fashion Week
Tadashi Shoji


Pamela Roland

Just In XX

Bibhu Mohapatra

alice McCALL

20.08.17
OUÇA: Trilha sonora do filme “Extraordinário” conta com música de Bea Miller

O filme “Extraordinário”, baseado no livro de mesmo nome, chega aos cinemas em Novembro desse ano e conta a história de August Pullman, o Auggie, uma criança que nasceu com uma séria síndrome genética que o deixou com deformidades faciais, fazendo com que ele passasse por diversas cirurgias e complicações médicas ao longo dos seus poucos anos de vida.

A adaptação conta com nomes grandes: Jacob Tremblay, Julia Roberts, Owen Wilson, entre outros!

Para embelezar mais essa história, Bea Miller lançou a música “brand new eyes” que é parte da trilha sonora do filme e foi a música presente no segundo trailer do filme que você pode conferir abaixo:

Ouça a música na íntegra abaixo:

20.08.17
Fotos & Vídeos: Bea Miller comparece ao Teen Choice Awards 2017

Como já é tradição, Bea Miller compareceu à edição de 2017 do Teen Choice Awards. Esse ano, além de comparecer ao Blue Carpet, Bea se apresentou no primeiro Teen Fest, evento paralelo à premiação. Confira as fotos e os vídeos abaixo:

No Blue Carpet: Bea Miller chegou ao tapete com um vestido amarelo cheio de fendas da Muehleder ($525.00) acompanhado de uma bolsa preta com detalhes brancos da Salar Milano (€498.00) e de um elegante e delicado salto branco da Schutz Enida ($170.00). Quanto às jóias, Miller apostou nas assinadas pela marca Adornmonde: conjunto de anéis Cedric Gold Crystal ($86.00), conjunto de anéis Braylon Gold Crystal ($88.00), conjunto de anéis Tyreek Gold ($78.00), brincos Rodolphe Gold Crystal Star ($90.00) e choker Ayden Gold Crystal ($92.00).

Créditos: Steal Her Style

Fotos
Blue Carpet

Teen Fest

Vídeos

Entrevistas
Sobre seu look (a partir de 1:07)

Apresentação no Teen Fest (a partir de 1:51:37)

06.06.17
CHAPTER TWO: RED: Ouça as 3 novas músicas da segunda parte do BM2

No dia 2 de junho, a Bea lançou o segundo capítulo da sua jornada intitulado “chapter two: red” que conta com 3 músicas: “like that”, “buy me diamonds” e “warmer”.

Todas valem muito a pena serem ouvidas! Enquanto “buy me diamonds” será o single da vez, Bea revelou que “warmer” é a sua segunda música preferida escrita por ela mesma e “like that” a terceira, perdendo apenas para “yes girl”.

Confiram abaixo links para ouvir as músicas:

YouTube



Spotify
Apple Music
Google Play
Deezer

01.05.17
Tradução: Entrevista de Bea Miller para a NKD Mag

Quando a musicista Bea Miller se encontrou pela primeira vez com a NKD em 2014, ela tinha acabado de lançar seu EP de estreia, “Young Blood” e estava no processo de criação do seu primeiro álbum. Agora, depois de lançar “Not An Apology” em 2015, ela está no caminho para lançar seu segundo álbum – uma trilogia em três capítulos que documenta as dificuldades honestas da sua vida.

Bea começou a cantar quando criança, e ela considerou pela primeira vez ter uma carreira com isso como uma forma de ajudar sua família em um momento difícil. Suas mães estavam no meio de um divórcio quando as duas perderam o emprego, deixando adolescente Bea entre mães brigadas. “Elas realmente se odiavam e era difícil ficar perto das duas juntas, mas como estavam desempregadas, elas não podiam bancar seu próprio espaço,” ela disse. “Então eu e meus irmãos fomos forçados a viver em uma casa com mães que se odiavam.” Ela encontrou uma escapatória na música. “Acordei uma manhã e fiquei tipo ‘Sinto que posso fazer algo para ajudar nessa situação e melhorar isso’. Eu não sabia exatamente o que era, naquele momento, mas eu comecei a cantar muito, e eu estava gravando vídeos musicais, no meu quarto, e comecei a aprender a tocar violão.” Bea explica. Um dia, ela estava cantando “I’ll Make You Feel My Love” da Adele em seu quarto, quando ela ouviu alguém chorando do outro lado da porta. “Abri a porta do quarto e uma das minhas mães estava sentada na escada, chorando, e ela falou ‘Eu não sabia que você podia fazer isso’, e eu realmente não sabia que podia fazer também.” Ela diz. “Achei que cantar era um sonho irreal, e foi quando eu decidi que talvez eu pudesse usar isso para ajudar minha família.”

Bea e sua família estavam prestes a perder sua casa quando ela decidiu fazer a audição do The X Factor 2012. “Soa meio egoísta, como se eu só estivesse lá por dinheiro, mas eu queria cuidar da minha família e não deixar com que perdessem a casa.” ela diz. O vencedor do show não só leva $5 milhões, mas também um contrato com gravadora. “Eu pensei ‘Legal, eu posso seguir meu sonho e fazer o que amo e ainda sim ajudar a minha família’ então pensei que isso era perfeito.” Bea explica. Apesar de não ter ganhado, ela chegou ao nono lugar e fechou contrato com a Syco Music e Hollywood Records com 15 anos.

Sendo tão nova na idade e na indústria, Bea não escreveu muitas de suas músicas do seu primeiro álbum. “Eu co-escrevi algumas das músicas, mas eu não escrevi realmente, não eram da minha perspectiva.” ela diz “Eu não necessariamente sabia escrever músicas, eu nunca tinha tentado antes. Eu tinha meio que medo dos meus sentimentos. Eu era introvertida na época.” Ela sentia que o álbum não era autentico à ela e a como ela era como pessoa. “Tinham fãs que falavam pra mim ‘Ai meu Deus, essa música significa tanto pra mim, e eu sou muito grata por você ter escrito ela’ e eu me sentia como uma mentirosa.” Bea admite. A partir disso, ela percebeu que tinha algo para dizer, algo que representasse ela e as experiências que ela tinha medo de contar no passado. Bea decidiu que no seu próximo álbum ela iria escrever todas as músicas. “Eu quero ser honesta, eu quero ser real, e eu quero ser a pessoa que está ajudando as pessoas e fazendo-as seguir em frente, então isso eventualmente me trouxe a escrever esse álbum.” ela diz “Eu me sinto muito bem, me sinto muito inspirada e realmente feliz, e sinto que quando as pessoas me dizem que minha música os ajudou, é realmente importante pra mim, porque eu quem escrevi e me pus ali, não só para mim mesma mas para ajudá-los.”

Até agora, só o Chapter One: Blue, o primeiro segmento de seu álbum, já saiu. Os outros dois vão ser divulgados ao longo do ano, os dois em grupos de acordo com cores: Chapter Two: Red e Chapter Three: Yellow . Quando Bea estava pensando em criar o novo álbum, ela refletiu muito no jeito que as pessoas ouvem as músicas hoje em dia. “Eu escuto os álbuns completos porque eu faço música, e eu me importo com a música, e eu quero saber a história completa, mas muitas das pessoas não escutam álbuns inteiros. E como uma fã, eu só recebo 12 músicas por ano de um artista, e todas de uma vez, e não há mais nenhuma conexão depois disso, e pessoalmente, eu acho isso frustrante.” ela explica. Ela queria disponibilizar um álbum digno de músicas, mas de uma forma que iria dar a chance de cada música ter seu próprio momento na experiência dos ouvintes. Depois de alguém da gravadora apresentar a idéia de disponibilizar o álbum em segmentos, onde cada parte funciona como um EP, ela decidiu dar mais um passo. “Eu vejo músicas em cores, e eu estava, tipo, ‘Ok, legal, como posso agrupar todas as minhas músicas pelas cores que vejo quando as escuto?’ As músicas que eu comecei a ver em cores tinham muito em comum.” ela diz.

O álbum foi inspirado em uma situação onde Bea percebeu que um relacionamento com alguém muito importante pra ela não estava funcionando. Os grupos de cores, cada um relacionado a uma emoção, seguem o curso dessa experiência. “O Chapter One tem algumas das músicas que escrevi quando estava na tristeza inicial, e meio que arrependida por alguém que você realmente se importa não funcionar mais pra você. ” ela diz. “O Chapter Two é vermelho, o que traz as músicas de quando eu estava no meio de tudo isso, quando eu estava tipo ‘Ok, essa é a realidade, e eu estou meio que brava, e gostaria que isso não estivesse acontecendo, mas também estou emponderada e inspirada a seguir a vida e ser uma pessoa melhor, e evoluir comigo mesma’.” As músicas do Chapter Three ainda não foram agrupadas, porque Bea quer que elas estejam mais atualizadas com a sua vida, mas elas vão representar a superação e o fim da história. “É onde eu estou tipo, eu segui em frente, eu saí dessa situação e estou melhor agora, não é a luz no fim do túnel, mas é onde eu supero esse problema e estou preparada para o próximo.” Bea disse. O capítulo final vai ser o lançamento do álbum completo. “Podemos chama-lo de ‘Spectrum’ ou algo mais ou menos nesse sentido.” Bea disse. “Você pega todas essas três cores e as coloca juntas e pode formar qualquer outra cor no universo inteiro de cores. Você pode experienciar tristeza e solidão e raiva e felicidade em razão de ser a melhor versão de si mesmo. Tudo se juntando no final é realmente especial e eu estou muito animada pra mostrar algo tão detalhado para todos.”

Seu objetivo, através desse álbum e do seu trabalho como artista e como pessoa no geral , é só estar conectada com o máximo de pessoas possível. No espaço entre seu primeiro e segundo álbum, em seu crescimento pessoalmente e musicalmente, ela veio a descobrir que a honestidade é essencial. “Eu me tornei mais confortável comigo mesma, com meus sentimentos e meus pensamentos, e fiquei ainda mais obcecada com a ideia de que quando você compartilha algo que não é essencialmente incrível na sua vida, isso é meio que embaraçador de divulgar, isso na verdade ajuda outras pessoas.” ela explica. “Muitas outras pessoas estão passando pelas mesmas coisas e eles não querem falar sobre isso. Se uma pessoa fala sobre isso, ela ajuda todo mundo.”
Bea está planejando montar uma tour para o final do ano, acompanhando o desenvolvimento da segunda metade de seu álbum. “Eu quero viajar, quero interagir com as pessoas, quero saber o que elas acham da minha música e como ela os faz sentir, e como ela os afetou, seja positivamente ou negativamente.” ela diz. “Eu quero me conectar com as pessoas cara a cara.” Enquanto crescia, ela nunca sentiu que havia uma artista feminina que era inteiramente honesta, que podia se conectar inteiramente com seu público e suas experiências. Conforme foi desenvolvendo músicas e ouvindo seus fãs, ela decidiu se tornar a artista que procurava quando era criança. “Eu só queria alguém pra dizer ‘A vida é incrível, mas as vezes é realmente uma merda, e essa é a verdade.'” ela diz. “Mas eu nunca tive isso, e é por isso que meu relacionamento com os meus fãs é muito forte, e qualquer vez que eles me dizem que minhas músicas significam muito pra eles é muito especial.”

Fonte: NKD Mag
Tradução e Adaptação: Equipe BMBR

Confira abaixo os scans da revista e o photoshoot
Scans

Photoshoot

30.04.17
FOTOS & VÍDEOS: Bea Miller no Red Carpet e no palco do RDMA 2017

Neste sábado (29/04), Bea Miller compareceu ao Radio Disney Music Awards 2017, onde apresentou uma categoria e estava, claro, linda! A premiação vai ao ar dia 30/04 nos Estados Unidos e dia 21/05 aqui no Brasil, com transmissão do Disney Channel.

No Red Carpet: A cantora vestia um vestido caqui longo com cardaço Elisabetta Franchi ($366.00), uma chocker dourada com cristais Adornmonde Santiago ($86.00), anéis da coleção Crescent Spike da Luv Aj (Esgotado), e sapatos Steve Madden Satya ($89.95). Preços em dólares.

Créditos: Steal Her Style

No palco: Bea apresentou a categoria “Mashup!” (Melhor Colaboração) e quem ganhou foi a música “Bad Things” colaboração de Machine Gun Kelly com a amiga e ex-colega de The X Factor da Bea, Camila Cabello. Foi emocionante o reencontro, com um abraço apertado, das amigas quando Camila subiu ao palco para receber o prêmio.

Confira abaixo fotos e vídeos da presença da Bea na Premiação.

Fotos
Bastidores

Red Carpet

Palco

Vídeos
Para iHeartRadio


Para 102.7 KIIS FM (a partir de 0:47)

FIQUEM DE OLHO! Atualizaremos o post conforme saírem mais fotos e vídeos.

27.04.17
Legendado: Bea Miller para VEVO: Reflexões e Músicas Novas

Ontem (26/04), a VEVO liberou uma entrevista com a Bea onde a cantora fala sobre as mudanças na sua música e na sua vida e, claro, sobre as músicas novas. Rapidamente a Equipe BMBR legendou a entrevista e vocês podem assistir abaixo. Ah, não deixem de assistir o Sneak Peek, é hilário!

Sneak Peek

27.04.17
FOTOS & VÍDEOS: Bea Miller na Radio Disney

Bea compareceu a Radio Disney recentemente e se encontrou com Laura Marano e Candice. Confira abaixo fotos e vídeos do que rolou:

Fotos

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D // Bea Miller brasil