03.03.19
TRADUÇÃO: Confira a letra de it’s not u it’s me em português

Que o novo single da Bea Miller em parceria com o 6LACK é maravilhoso nós já sabemos. Agora basta saber cantar e saber o que essa letra (que é um hino do amor próprio) significa. Por isso, o Bea Miller Brasil traduziu a música e você pode conferir essa tradução abaixo:

não é você sou eu

[Verso 1: Bea Miller]

Eu fiz tudo que você queria, essa sou eu

Dei tudo que você queria

Mas comecei a me sentir perseguida, por mim

Porque não era o que eu queria

[Pré-Refrão 1: Bea Miller]

E você estava tentando tanto com suas fotos parecer mais rico

Isso não é o que eu quero fazer

Suas distrações eram exatamente o que eu precisava

Agora eu vejo a verdade

[Refrão: Bea Miller]

Não é você, sou eu (sou eu)

Eu sou a única que eu preciso (Ooh-ooh)

Não é você, baby (Baby)

Porque estou te deixando por mim (Ooh-ooh)

Eu não quero que você se culpe

Faz mal para a sua saúde

Porque honestamente (Ooh)

Não é você, sou eu (sou eu)

Eu sou a única que eu preciso (Ooh-ooh)


[Verso 2: Bea Miller]

Eu tenho certeza que alguém vai te amar, não eu

E amar todas as coisas que você faz

Levo um minuto mas percebi

Que eu não sou a pessoa para você

[Pré-Refrão 2: Bea Miller]

E eu quero deitar embaixo das estrelas

E ouvir o oceano enquanto estou falando besteira

Chapada com as pessoas que são reais

Não me fazem sentir como uma idiota

[Refrão: Bea Miller]

Não é você, sou eu (sou eu)

Eu sou a única que eu preciso (Ooh-ooh)

Não é você, baby (Baby)

Porque estou te deixando por mim (Ooh-ooh)

Eu não quero que você se culpe

Faz mal para a sua saúde

Porque honestamente (Ooh)

Não é você, sou eu (sou eu)

Eu sou a única que eu preciso (Ooh-ooh)

[Ponte: Bea Miller]

Eu sou a única, eu sou, eu sou a única

Eu sou a única, eu sou

Eu sou a única, eu sou, eu sou a única

Eu sou a única, eu sou

[Verso 3: 6LACK]

Para quem você vai ligar quando tudo isso vier abaixo?

Eu só fico um pouco perdido, agora estou todo encontrado

Chamada perdida agora (Brrr), bloqueie todos eles agora (Woo)

Foi me dito, mas agora estou todo nisso

Mentiroso, por que mentir?

Você não é a pessoa que eu quero, yeah

(Você não é a pessoa que eu quero)

E eu comecei a me sentir perseguido por mim (Ooh)

Porque eu sei que agora o que é quero é

Paz na mente

Não é você, eu percebi que eu cansei de perder tempo

Vai ficar bem, amor próprio não é egoísta

Meu amor reina supremo, você sentiu isso, yeah

[Refrão: Bea Miller]

Não é você, sou eu (sou eu)

Eu sou a única que eu preciso (Ooh-ooh)

Não é você, baby (Baby)

Porque estou te deixando por mim (Ooh-ooh)

(Eu sou a única, eu sou, eu sou a única)

Eu não quero que você se culpe

Faz mal para a sua saúde

(Eu sou a única, sou eu)

Porque honestamente (Ooh)

(Eu sou a única, eu sou, eu sou a única)

Não é você, sou eu (sou eu)

(Eu sou a única, sou eu)

Eu sou a única que eu preciso

03.03.19
#itsnotuitsme: O novo single da Bea Miller com o 6LACK está maravilhoso

Nessa sexta, 01/03, o mundo inteiro pode ouvir pela primeiro vez o single do BM3 e da nova era: it’s not u it’s me. Nessa música, Bea Miller combina seus versos com os do rapper 6LACK, criando uma música com muito potencial para os charts.

Ouça os singles nas principais plataformas digitais:

Spotify: https://open.spotify.com/track/7cLm450e9XaPrEZTSTsfwU?context=spotify%3Aalbum%3A2H7CLWulZOueBe1Hjtznm1&si=-Qg7TEoDQKSy6qIiF_u6WQ …

Apple Music: https://itunes.apple.com/us/album/its-not-u-its-me-single/1453608625https://itunes.apple.com/us/album/its-not-u-its-me-single/1453608625 …

YouTube: https://youtu.be/nR0hjFEtnnc 

Em apenas 24 horas o single atingiu meio milhão de streams no Spotify e agora (com 48 horas) alcança 800 mil. E esse é apenas o começo!

Na nossa conta do Twitter estamos divulgando algumas dicas para ajudar no crescimento do single, sigam a gente por lá e fiquem sabendo de tudo.

Tarefas diárias para a divulgação de #itsnotuitsme:

1. Ouvir a música por essas playlists do Spotify:

new music friday: https://t.co/ggDiR5Xtjb

pop rising: https://t.co/iUd7l6vHL6

pop sauce: https://t.co/xThyn6WrtI

2. Fazer Shazam da música: https://t.co/qLnVCnlj5L pic.twitter.com/WRGmPXo44B— Bea Miller Brasil (@beamillercombr) March 2, 2019

03.03.19
IT’S NOT U IT’S ME: Saiba tudo sobre o próximo single de Bea Miller

Novo cabelo, nova turnê e, claro, nova música! Depois de um ano do lançamento do seu segundo álbum, “aurora”, Bea Miller lançará um novo single essa sexta-feira, 01/03. O nome do single é “it’s not u it’s me”.

Bea anunciou essa novidade através do seu Instagram Stories juntamente com 3 trechos exclusivos da faixa. Confira:

Parece que essa nova era está vindo com tudo! Agora é só esperar pelo dia primeiro para ouvirmos esse hino completo.

03.03.19
NICE TO MEET U TOUR: A nova turnê de Bea Miller pela América do Norte

Finalmente chegou a hora da Bea Miller brilhar sozinha! Depois de abrir turnês para artistas como Demi Lovato, Fifth Harmony, Selena Gomez e DNCE, Bea começará em abril sua própria turnê chamada “nice to meet u tour”.

Na turnê que marca o inicio de uma nova era em sua carreira, a cantora passará por 16 cidades nos Estados Unidos e no Canadá. As pré-vendas já começaram (e esgotaram na maior parte das cidades) e as vendas gerais começam no dia 01/03. Para mais informações sobre valores e bilhetes clique aqui.

Confira na imagem abaixo quais são as cidades e as datas dos shows:

01.03.18
TRADUÇÃO: Bea Miller responde perguntas de fãs no Twitter

Na última quarta, Bea tirou um pouco do seu tempo para responder diversos fãs que mandaram perguntas utilizando a tag #askbea. Entre os assuntos estão: a reação do namorado ao ouvir a música “bored”, que foi escrita sobre ele; as cores das novas músicas do aurora e até mesmo maconha. Leia abaixo a tradução dos tweets:

@wdwzabdiel: Qual a primeira música que você escreveu do Aurora?
Bea: “song like you” foi a primeira música que escrevemos para o álbum que passou pelo corte final. A maioria das músicas estão no álbum na ordem em que as escrevemos.

@beassel: Existe alguma música que não conhecemos porque você decidiu tirar do Aurora?
Bea: Eu escrevi cerca de 200 músicas ano passado, então existem muitas hahahaha mas definitivamente tem umas 5 ou 6 que doeram não ser capaz de lançar com esse álbum.

@haleyamasetta: Alguma das novas músicas do álbum se encaixam em alguma cor dos chapters ou em outra cor?
Bea: “outside” é marrom e laranja para mim, “repercussions” é na verdade predominantemente laranja (pois é hahaha), girlfriend é em sua maioria rosa e vermelho, “motherlove” é vermelha pra caralho, “bored” é verde, “crash&burn” é cinza e branco.

@femmebea: Em “girlfriend” a letra é “I don’t wanna be your girlfriend i just wanna play with your HEAD ou HAIR”??
Bea: HAIR eu não quero brincar com a mente das pessoas (pelo menos não de propósito), isso é fodido.

@feminisak: Nos conte algo sobre “outside”, eu amo essa música.
Bea: Eu escrevi “outside” quando cai em uma rotina, eu odiava minha vida, tudo e todos fazim com que me sentisse sozinha, entediada e sem inspiração. Então comecei a procurar outros artistas que amo escrever com (também conhecido como lostboycrow) e nós literalmente escrevemos uma música sobre isso, o que me re-inspirou a seguir em frente.

@smokebeatrice: Nós vamos ter “weed with bea” (maconha com a bea) ao invés de tea with bea (nome do último pacote de meet&greet da bea)?
Bea: Ai meu deus, meg hahahahahahaha (talvez)

@migxls: Quais outros nomes você pensou para o álbum?
Bea: Eu quase mudei para “synthesis” antes de surgir com aurora, na verdade.

@fifthkaki: As músicas que você não colocou no Aurora se foram para sempre?
Bea: Elas estão relaxando no dropbox, elas vão ou ser escolhidas por outros artistas (o que eu amaria porque é meu sonho escrever para/com outros músicos) ou eu vou lança-las em algum momento, ou elas vão ficar lá para sempre.

@beaxniall: Por que você não colocas ela no soundcloud?
Bea: Eu só posso colocar coisas no soundcloud se eu escrevi/produzi a música completamente sozinha porque não posso pagar produtores do meu bolso para comprar as faixas deles e lança-las por conta própria MAS eu vou baixar um programa assim que eu puder comprar um laptop novo e começar a praticar.

@warmerdua: Por que você não colocou “yes girl” no álbum?
Bea: Eu só podia ter um total de 14 músicas e adicionando yes girl eu tiraria o lugar de uma música nova e nunca ouvida antes com potencial e eventualmente decidi que uma faixa nova seria melhor. Isso me deixa triste porque é a minha música favorita que já escrevi e provavelmente será esquecida.

@IiIcamo: O que o Devon disse quando ouviu “bored” pela primeira vez?
Bea: hahahahaha eu tive que sentar com e ele e falar “amor, você sabe que eu acho que você é o melhor mas por um minuto estava um pouco difícil para mim, a melodia é boa se você ignorar a letra :))) desculpaaaa” e ele pareceu ter gostado 😂🤷🏻‍♀️

@jollybrina: Qual música era completamente diferente na melodia e no jeito que a letra estava posicionada?
Bea: “song like you” originalmente teve uma produção completamente diferente (na verdade eu gosto mais da versão original, era mais sombria e não tinha os “do do do do” mas acho que o Ido decidiu que não era pop o suficiente então ele mudou) mas vocês provavelmente ficaria chocados se ouvissem a diferença.

@hesbeatrice: O que significa “you don’t even know when i’m coming clean” em motherlove?
Bea: you don’t even know when i’m cuming (clean) – tradução: você nem sabe quando eu estou gozando (limpo) – :)))))

@beastattoos: Então por que o clean?
Bea: Porque precisávamos que rimasse com o primeiro verso.

@cuttiegrande: As histórias são normalmente inspiradas por experiências pessoais ou por histórias e experiências de outras pessoas?
Bea: Eu queria que esse álbum fosse completamente eu para que eu pudesse me introduzir para o mundo como a pessoa que me tornei que escreve suas próprias músicas, o próximo álbum vai ser mais dinâmico e inclusivo com as experiências e emoções de outras pessoas.

@_piouskouloglou: Qual sua música favorita de quando você era mais nova?
Bea: Rich Kids será para sempre um hino.

@laurenlovesu13: De que cor é yes girl?
Bea: Um roxo bem escuro.

@ayedeeen: Como sua família reagiu ao álbum?
Bea: Eu toquei meu álbum todo para eles no carro alguns meses antes de lançar, eles são os melhores. Eles sempre amam ouvir minha música e ficam muito animados quando eu mostro para eles antes do resto do mundo ouvir.

28.02.18
OUÇA: Bea Miller é entrevistada pela rádio britânica Wizard Radio

Para divulgar seu novo álbum, Aurora, Bea Miller concedeu uma entrevista pelo telefone para a Wizard Radio, a maior rádio britânica online voltada para o público adolescente.

Na entrevista, Bea falou sobre o inicio da carreira, o lançamento do álbum através dos chapters, a história por trás de S.L.U.T., entre outros assuntos. Clique aqui para ser direcionado para a página da rádio e ouvir a entrevista.

23.02.18
TRADUÇÃO: Teen Vogue conversa com Bea Miller sobre o novo álbum, Aurora

Desde que ela apareceu pela primeira vez no radar cultural com uma participação na segunda temporada do The X Factor em 2012, Bea Miller estabeleceu-se como uma força a ser contada com – e com uma voz para combinar. Com sua presença carregada politicamente nas mídias sociais e com melodias sensuais, a cantora e compositora de 19 anos construiu sua carreira desafiando as expectativas em uma indústria que exige conformidade. E com um álbum e quatro EPs em seu nome, ela fez tudo, enquanto a maioria de seus pares ainda estão terminando o ensino médio.

Como nunca foi de ficar quieta por muito tempo, Bea já está de volta com o que talvez seja seu trabalho mais ousado até o momento. Sendo lançado essa sexta-feira (23 de fevereiro), Aurora é seu segundo álbum, que foi escrito, em grande parte, quando ela estava passando da adolescência para a idade adulta. Tocando em tudo, desde o tédio existencial até o “slut shaming”, Aurora é o trabalho de uma artista que não só encontrou sua voz, mas tem algo a dizer com ela.

Enquanto Bea crescia, igualdade sempre fez sentido. Mas quando abriu os olhos para mundo real, percebeu que ainda estavam lutando pelos direitos das pessoas de ser quem são. A Teen Vogue sentou para conversar com Bea sobre sua paixão em lutar pelo que é certo e como isso se traduziu em sua composição e ativismo. Ela conversou sobre transformar suas experiências em música, o que ela aprendeu com Selena Gomez, o que os fãs deveriam esperar de seu segundo álbum e mais.

Teen Vogue: O que você sentiu de diferente fazendo o Aurora em comparação de como você se sentiu quando estava fazendo seu álbum de estréia?

Bea Miller: O que era diferente no primeiro álbum é que eu não o escrevi. Minha gravadora disse: “Nós pensamos que você é legal e tem coisas para dizer, mas você é nova na indústria. Nós fazemos isso por tanto tempo, só faça um álbum que achamos que vai funcionar.” Eu tinha 15 anos e, claro, me revoltei. Disse: “Não, esta não é minha visão!” Mas eles disseram: “Se você fizer isso agora e pagar suas dívidas, no seu próximo álbum você pode fazer o que quiser.” E eles mantiveram a palavra! Este álbum é a verdadeira Bea Miller. Mas eu também não penso que no passado eu estava pronta para ser assim, e agora estou pronta para estar aqui com todas as minhas paredes quebradas. Aurora deixou-me descobrir o que diabos deveria estar fazendo. Eu estava quase me ensinando enquanto escrevia sem perceber. É como terapia. Você pode ouvir minha progressão como pessoa e quanto me tornei mais feliz, o que é muito legal de ouvir porque estou orgulhosa de mim mesma.

TV: Quais foram algumas das influências que você procurou como inspiração?

BM: Fiquei inspirada em qualquer coisa relevante o suficiente para escrever uma música sobre. Alguns dias eu escrevia sobre algo específico, mas havia dias em que nada de interessante estava acontecendo e ainda queria escrever. Eu literalmente tenho uma música sobre como eu estava entediada e, na verdade, é uma música muito legal, é interessante porque eu criei algo do nada. Muito desse ábul é que eu estou escolhendo “aleatoriamente” pequenos momentos e sendo como “Isso é o que está em mente e mesmo que não seja um tema óbvio que vale a pena escrever, talvez seja o que faz valer a pena escrever”.

TV: Algumas músicas, incluindo “Burning Bridges” e “Repercussions”, têm essa pegada mais dark que o seu álbum de estreia não teve. O que fez você querer se mover nessa direção criativa?

BM: Quando eu vou ao estúdio, eu só quero fazer algo que pareça bom. Um produtor me disse que ele mede o que ele está fazendo, ouvindo e pensando “Hmm, eu gosto disso” ou “Hmm, eu não gosto disso”. Simples assim. O que parece bom no momento é o que você deve seguir. Eu escuto tantos gêneros diferentes que uma semana eu serei super inspirada pelo rap, mas daí vou ouvir um álbum legal de country ou pop ou rock. Sou inspirada por coisas novas todos os dias, então tentar me encaixar em uma caixa onde eu tenho que ser a mesma todo o tempo? Eu não queria fazer isso.

TV: Seu primeiro single de Aurora, “S.L.U.T.”, reivindica uma palavra usada para envergonhar as pessoas e criticar a expressão sexual. Como essa faixa surgiu?

BM: No dia em que escrevi essa música, cheguei no estúdio me sentindo muito bem comigo mesma; estava vestindo um bodysuit bonito que tinha as costas nuas e eu postei uma foto. Eu tenho seios pequenos, então eu não uso sutiã porque não preciso do suporte. É menos confortável para mim usar um! Não era transparente, mas você podia ver a marca dos meus mamilos, porque todo mundo tem mamilos. Normalmente, não leio comentários, mas eu vi que uma garota havia dito algo como “Não posso acreditar que você publicou isso, é inapropriado, você é uma puta (slut), como você pode promover isso para seus fãs jovens?” Lembro-me de estar sentado tipo “Que p*rra?” Precisamos levantar umas as outras porque quando as mulheres comem juntas, são tão fortes e quando os homens nos vêem se depreciando, isso faz com que eles pensem que está certo fazer o mesmo. Eu estava falando com a minha co-escritora sobre e ela procurou “slut” no Urban Dictionary e uma das definições disse que era uma sigla para “Sweet, Little, Unforgettable Thing” (coisa doce, pequena e inesquecível).

Isso fez com que me sentisse bem de imediato. Porque isso me animou, pensei que animaria um monte de outras mulheres quando elas ouvissem, então mudamos o dia inteiro e dissemos: “Vamos transformar algo negativo em algo positivo e reivindicar a palavra, então quando as mulheres forem chamadas de puta por absolutamente nenhuma razão, não se sintirão mal por serem elas mesmas”.

TV: Você diria que você integra sua política e visão de mundo na sua música?

BM: Definitivamente em “S.L.U.T”, eu sinto que essa música tem muita minha visão de mundo. Há um verso sobre como devemos aprender a se unir, amar sua cor, gênero, seja o que for. Eu tenho um irmão trans e uma mãe gay, então eu sempre fui cercada por pessoas da comunidade LGBTQ e tenho tantos amigos apaixonados pela igualdade. Eu coloco isso nas minhas redes sociais o tempo todo.

TV: Por que é importante para você, especialmente em uma idade jovem, estar tão envolvida em questões sociais como a advocacia LGBTQ+, controle de armas e ciberbullying?

BM: Porque os jovens são o futuro. Eu sei que é uma coisa tão exagerada, mas, literalmente, os jovens se tornam adultos e então eles são responsáveis pelo mundo e o ciclo se repete. Tenho apenas 19 anos, mas é importante inspirar as pessoas do futuro para levá-lo a um lugar melhor. Estamos trabalhando para a igualdade, mas ainda não estamos lá. Há tantas pessoas que são menosprezadas e precisamos perceber que o mundo seria um lugar muito melhor se pudéssemos reconhecer que somos todos iguais. Se você acha que algo está errado, nada vai acontecer até você agir para mudar isso.

TV: Você também se tornou uma grande aliada do grupo de controle de armas Gays Against Guns. O que há no GAG e na missão deles que ressoa comm você?

BM: Logo após Trump ter sido eleito muita m*rda estava acontecendo e minha mãe disse: “Precisamos dar um jeito nisso, estamos nos juntando ao Gays Against Guns”. Minha mãe é muito liberal e muito lutadora pelas pessoas, então, quando ela se juntou à GAG, adorei que eram pessoas que eram menosprezadas e que atravessavam tantas lutas que se uniam e lutavam contra algo em que acreditavam. Eu 1000% penso que essas leis sobre armas precisam mudar e muito menos m*rda aconteceria se nós nos espelhassemos em outros países. É tão importante se envolver com um grupo de pessoas e tentar fazer uma mudança. Nada acontecerá se você não tentar. Vamos sair e fazer algumas mudanças! Eu acho que as pessoas estão tão chocadas e assustadas com Trump que ficam tipo “Ah m*rda”.

TV: O que você aprendeu em se envolver com essas causas? O seu ativismo mudou a maneira que você vê o mundo de alguma forma?

BM: Eu não sei se alguma coisa mudou. Eu fui criada por duas mães em uma cidade que era diversa e aberta com as pessoas. Eu lembro quando eu senti o gosto da outra parte do mundo e saí da minha bolha quando me tornei mais velha, eu estava tão confusa com o fato de que nem todo mundo era daquele jeito. Eu não consegui acreditar no fato de que existem pessoas que olham para outras pessoas e pensam “Você é menor do que eu e você não é igual a mim.“ Eu nunca consegui aceitar esse conceito, então quando eu entendi que isso não é tão óbvio para as pessoas, isso me inspirou a agir mais sobre isso. A igualdade simplesmente sempre fez sentido e quando saí para o mundo e percebi que não fazia sentido para todos, foi quando eu pensei “Ok, agora eu preciso realmente fazer alguma coisa sobre isso.”

TV: Você foi em turnê com artistas femininas poderosas. Qual foi a maior lição que você levou dessas experiências?

BM: A maior lição que levei é de como é inspirador quando as mulheres se juntam e podem fazer qualquer coisa. Demi Lovato é alguém que realmente fala o que pensa e passou por muitas coisas na vida que está disposta a compartilhar conosco. É incrível quando as mulheres estão realmente apoiando umas as outras. Você pensa que deveria ser tão óbvio, essa ideia de mulheres apoiar em outras mulheres. Mas as garotas ficam com inveja de outras garotas, elas ficam com raiva que uma tem isso ou aquilo e querem rebaixa-las. Nós deveríamos todas simplesmente ser inspiradas umas pelas outras e encorajadas, então nós podemos alcançar muito mais. Eu só estou tentando alcançar isso.

TV: Alguma delas te deu algum conselho que ficou com você?

BM: A maior parte das vezes que você senta com outros artistas, nunca é tipo “ Foi assim que cheguei onde estou…” Quando você senta com outros artistas, é tipo “Finalmente estou com pessoas que me entendem e sabem pelo que estou passando.”

Eu não acho que ninguém me deu um conselho direto, eu só vejo as outras pessoas e observo a forma que elas crescem e passam pelas coisas. Foi interessante estar em turnê com a Selena porque ela não deixava o mundo quebra-la, mas deixa-vá-o empodera-la e inspira-la ao invés disso. Todos passam por momentos bons e ruins, mas ela nunca deixou isso afeta-la. É assim que eu me sentia quando era mais jovem, então foi inspirador ficar perto de alguém que passou por isso.

TV: Com Aurora finalmente saindo essa semana, o que os fãs podem esperar?

BM: Eu sinto que esse álbum é uma história agora quando você pega a coisa inteira sem interrupções, então quando você escuta ele do começo ao fim é literalmente como passei meu último ano e metade do outro. É quem eu sou e tudo que sou. Então se você quer conhecer Bea Miller, aqui estou eu.

23.02.18
SAIU: Ouça o segundo álbum da Bea Miller: Aurora

Hoje (23) ocorreu o lançamento mundial do álbum Aurora, segundo da Bea Miller. O álbum é a finalização do projeto de capítulos baseados nas cores primárias que foram lançados ao longo de 2017. Além das 9 músicas já conhecidas, Bea lançou 5 músicas inéditas no álbum, totalizando 14 músicas. O álbum tem, ao todo, 45 minutos de duração.

Disponibilizamos aqui o link para compra e stream do álbum em diferente plataformas:

Compra digital
iTunes
Google Play

Stream online
Apple Music
Spotify
Deezer

19.02.18
GALERIA: Atualização Semanal: confira tudo que rolou na semana da Bea

O post de hoje se refere ao período de 11/02 até 18/02. A Bea continuou em Nova York, conheceu alguns fãs, participou do programa TRL da MTV, foi à rádio Z100, utilizou o Twitter para anunciar as novas faixas que estarão no Aurora e muito mais. Confira todas as fotos abaixo:

TRL

Fotos com Fãs

Instagram

Twitter da Kim

Outras contas do Instagram

Twitter

Z100

14.02.18
MUTIRÃO: Vamos pedir S.L.U.T. em um programa de rádio importante esse sábado!

Como todos sabem, S.L.U.T. é o novo single de Bea Miller no mercado. Durante essa semana, a cantora estava em New York, onde fez aparições em eventos, programas de TV, entrevistas para revistas grandes como Rolling Stone e Teen Vogue e também foi a uma das maiores rádios americanas, a Z100 New York.

Para aproveitar esse embalo de divulgação, estamos combinando com fãs do mundo inteiro para pedirmos S.L.U.T. no Most Requested Live, um programa de rádio da iHeartRadio que é 100% interativo e toca as músicas mais pedidas das horas. Se conseguirmos que S.L.U.T. toque no programa, a música será tocada simultaneamente em dezenas de rádios americanas espalhadas pelo país.

Como o fandom é pequeno precisamos do máximo de pessoas que conseguirmos para pedirmos ESSE SÁBADO (17/02). Os pedidos devem acontecer entre 22h – 02h (Brasília) obrigatoriamente. Eles não levarão em conta pedidos que ocorrerem antes desse horário.

Mas vamos ao mais importante: como fazer esses pedidos.

É muito simples. Basta seguir as seguintes regras:

1. Ter uma conta no Twitter que seja aberta.

2. De preferência seguir a conta do programa @MostRequestLive (não é obrigatório, mas evita que pareça spam)

3. Tweetar, a partir das 22h, marcando a conta deles, usando a hashtag #MostRequestedLive e com “S.L.U.T. by Bea Miller”

Exemplo de tweet: “Hi @MostRequestLive, could you please play S.L.U.T. by Bea Miller? #MostRequestedLive”

4. Não use sempre o mesmo tweet, mude as palavras.

5. Não use apenas tweets soltos, responda também a todos os tweets da conta que forem feitos durante o horário do show.

Esperamos alcançar nosso objetivo! Ajude ainda mais o projeto dando RT no tweet abaixo para divulgar:

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D // Bea Miller brasil