Bem vindos ao novo episódio do Billboard Pop Shop Podcast, sua primeira parada para todas as coisas pop nos charts semanais da Billboard. Em adição, você sempre pode contar uma vívida discussão sobre as últimas notícias pop, FUN CHART STATS AND STORIES, música nova, e entrevistas convidadas com estrelas da música e FOLKS do mundo do pop.

Os fãs casuais de pop e os viciados em charts podem ouvir o co-diretor da Billboard, Keith Caulfield e o editor adjunto da Billboard, digital, Katie Atkinson todas as terças-feiras no Pop Shop Podcast, que pode ser transmitido no Billboard.com ou baixado no iTunes (clique aqui para ouvir Para a edição anterior da terça-feira do show no Billboard.com).

No último show, a cantora/compositora Bea Miller se junta a nós para falar sobre a sua próxima apresentação no terceiro Hot 100 Festival anual, como a sua mãe está especialmente animada para ver ela assumindo o palco no festival, como Miller vê a música em cor, e como ela foi criativa com lançar a sua nova música porque “as pessoas realmente não consomem mais álbuns.”

Além disso, Steven Horowitz, editor sênior da Billboard, se torna o co-anfitrião do show, enquanto a Katie faz uma pausa do Pop Shop. Keith e Steven apresentam o Festival Hot 100 desta semana, que acontece nos dias 19 e 20 de agosto em The Grounds at Jones Beach Theatre em Long Island, Nova York. Todo mundo desde Demi Lovato e Major Lazer até Camila Cabello e Zedd vão tocar no show, e o pessoal fala tudo sobre o que esperar e ainda mais.

Quanto a Miller, ela diz que tocar no Hot 100 Festival é ainda mais especial, porque ela tem laços familiares com Jones Beach e esta será a primeira vez que Miller toca no local. Acontece que a mãe de Miller é de Long Island, e Miller conta a Billboard: “Mamãe planeja estar lá (no show) por muito tempo. Ela incomoda todos com isso. Minha tia vive perto … Eu vou a Jones Beach todos os anos para os fogos de artifício, para o Quatro de Julho. Eu estava lá a pouco. Nós, literalmente, acabamos de passar nesse local há algumas semanas”.

Miller está programada para tocar no palco principal do festival, o Hot 100 Stage, no dia 19 de agosto às 4:45 p.m. Ela será seguida por uma grande lista de estrelas dos charts: Gucci Mane, Lovato, Zedd e Big Sean. (E ei, talvez haja fogos de artifício em algum ponto durante o fim de semana no festival, também!)

Falando sobre o Festival Hot 100, Miller tem estado ocupada com o seu contínuo projeto de música com temas de cores, que foi iniciado em fevereiro com o lançamento do conjunto de três músicas chamando Capítulo Um: Azul. Ela seguiu em junho com outro trabalho de três músicas, Capítulo Dois: Vermelho. No final deste ano, o Capítulo Três: Amarelo chegará (novamente, com três músicas). O trio de títulos leva a um trabalho de estúdio completo, que conterá as nove músicas lançadas anteriormente, além de mais três novas faixas.

“Eu tenho sinestesia”, diz Miller, “que é quando você vê a música em cores. É por isso que tenho usado as cores porque quando decidimos que íamos lançar a música em capítulos, ao invés de tudo ao mesmo tempo, eu estava pensando, ‘bem, como podemos levar isso mais longe? Como expandir isso e torná-lo mais criativo?'”

Miller diz que ela agrupou as músicas com base em que cor ela viu quando ouviu uma faixa em particular. As músicas do Capítulo Um: Azul era, de forma adequada, canções que ela escreveu enquanto se sentia triste. Então, no Capítulo Dois: Vermelho, aquelas músicas eram aquelas em que ela passara da tristeza e estava “meio brava com a tristeza” por ela ter sido por tanto tempo.

Em última análise, os títulos Azul, Vermelho e Amarelo levam a um álbum completo, possivelmente intitulado Spectrum (Espectro).

“Aconteceu das três cores serem as cores primárias. Então eu estava pensando… e não é 100%, mas eu estou pensando que eu queria (pra ser o título) algo como Spectrum (Espectro). no mesmo senso as três cores primárias podem formar qualquer cor no espectro, você precisar vivenciar emoções – a tristeza, a solidão do Capítulo Um (Chapter On), a raiva e o empoderamento no Capítlo Dois (Chapter Two), e então a felicidade e apenas tentar descobrir e aprender dos seus erros no Capítulo Tres(Chapter Three) – para ser a melhor versão de si mesmo que você pode ser.”

Miller diz que o lançamento em cores do álbum é uma maneira de fazer as pessoas ouvirem suas músicas em pequenos pedaços, já que é difícil fazer com que as pessoas se sentem e escutem mais trabalho.

“As pessoas realmente não consomem álbuns mais”, diz Miller. “As pessoas não se importam com 12 músicas ao mesmo tempo. Quando o Drake lançou More Life, e ele tinha algo como 20 músicas lá, as pessoas estavam tipo, ‘bem, o que eu faço com isso? Eu não tenho tempo para tudo isso agora,’ sabe? É triste pra mim, porque eu escuto os álbuns quando são lançados dos artistas que eu gosto… Eu acho que todos nós temos vidas realmente ocupadas agora e há tanta estimulação, há tantos artistas, há tanta música, há tanta arte, há tanto de tudo em um mundo que é difícil fazer as pessoas se concentrarem em 12 músicas suas de uma só vez “.

Então, ela pensou em uma maneira criativa de que ela pudesse fazer com que as pessoas prestassem atenção e realmente escutassem sua música – em segmentos de três músicas de tamanho menor. “Porque, obviamente, quando escrevemos nossa música”, diz ela, “derramos nosso coração e alma nela. Eu coloco tudo na minha música … Eu apenas sinto como, eu quero que as pessoas realmente ouçam o que eu tenho a dizer “.

Fonte: Billboard
Tradução e adaptação: BMBR